Tintim caça mafiosos em Chicago e ganha recompensa de 25 milhões de reais
52974
post-template-default,single,single-post,postid-52974,single-format-standard,eltd-core-1.0.3,ajax_updown,page_not_loaded,,borderland-ver-1.13, vertical_menu_with_scroll,smooth_scroll,paspartu_enabled,wpb-js-composer js-comp-ver-4.11.2.1,vc_responsive

Tintim caça mafiosos em Chicago e ganha recompensa de 2,5 milhões de reais

Tintim em Chicago

Tintim caça mafiosos em Chicago e ganha recompensa de 2,5 milhões de reais

As notícias começaram a pular das páginas dos jornais logo ao entardecer do dia 8 de abril. Anunciavam que uma das quatro ilustrações coloridas do álbum em preto e branco de “Tintim na América”, de 1937, foi leiloada em Paris por 753 mil euros.

O desenho de 21x15cm do cartunista belga Hergé, pseudônimo de Georges Remi (1907-83) mostra Tintim no estribo de um fordeco com um revólver na mão. Ele alcançou a cifra recorde para uma ilustração de HQ. De acordo com a Artcurial, responsável pelo leilão, a “onda” sobre um dos mais queridos personagens de quadrinhos, o repórter Tintim e seu fiel escudeiro Milu, estava de volta com a reimpressão de toda sua obra.

Tintim

Agora se você realmente se liga no Tintim, vale uma viagem a Bruxelas para mergulhar  no seu universo. Na capital belga, o personagem está presente em lojas, objetos, na decoração temática de hotéis, e num roteiro de grafites dedicado especialmente a essa arte de rua.
Museu Hergé
Para aprofundar-se mais ainda nesse rico universo do escritor e desenhista Hergé, um novíssimo museu em Louvain-la-Neuve, a uma hora de trem da capital belga, foi inaugurado em sua homenagem.
Mais de 80 pranchas originais, 800 fotografias, documentos e objetos pessoais, estão distribuídos num espaço poético projetado pelo arquiteto francês Christian Portzamparc, o mesmo que desenhou a Cidade da Música, no Rio de Janeiro. Tudo para conhecer de perto esse designer gráfico, publicitário, desenhista, escritor e pintor nas horas vagas.
Hergé foi tudo isso e muito mais.

Tintim em Bruxelas

Heitor e Silvia Reali

Viajamos para namorar a Terra. E já são 40 anos de arrastar as asas por sua natureza, pelos lugares que fizeram história, ou pela cultura de sua gente. Desses encontros nasceu a Viramundo e Mundovirado.