No Alto Danúbio encontraram as flautas mais antigas do mundo
52512
post-template-default,single,single-post,postid-52512,single-format-standard,eltd-core-1.0.3,ajax_updown,page_not_loaded,,borderland-ver-1.13, vertical_menu_with_scroll,smooth_scroll,paspartu_enabled,wpb-js-composer js-comp-ver-4.11.2.1,vc_responsive

Nas cavernas do Danúbio, as primeiras notas musicais

Flautas com mais de 40 mil anos

Nas cavernas do Danúbio, as primeiras notas musicais

Agora é fácil explicar porque alemães, austríacos, húngaros, checos, e outros povos daquelas bandas, são bons de música. Pudera, a turma de lá toca há mais de 40 mil anos!
As descobertas de flautas – feitas de ossos de aves e marfim de mamute –, em cavernas da região de Ulm (Alemanha), e que datam de 43 mil anos, são os primeiros resquícios de arte e música deixados pelos humanos modernos que migraram da África para a Europa.

Flauts com mais de 40 mil nos

Após a descoberta dessas flautas, de desenhos de figuras e de notáveis decorações nas cavernas (será que eles até plantavam flores nas entradas das grutas?), o acadêmico Nicholas Conard, da Universidade de Tubingen, na Alemanha, ampara a tese de que o Danúbio foi importante corredor de migrações de pessoas que tocavam e compunham rumo à Europa Central.
Baseado nessa tese, os estudiosos chegaram à conclusão que os povos da região do Alto Danúbio já faziam música antes da Era do Gelo, há 39 mil anos.cajuzinho

Heitor e Silvia Reali

Viajamos para namorar a Terra. E já são 40 anos de arrastar as asas por sua natureza, pelos lugares que fizeram história, ou pela cultura de sua gente. Desses encontros nasceu a Viramundo e Mundovirado.