Círio de Nazaré, fé e iguarias - Viramundo e Mundovirado
51663
post-template-default,single,single-post,postid-51663,single-format-standard,eltd-core-1.0.3,ajax_updown,page_not_loaded,,borderland-ver-1.13, vertical_menu_with_scroll,smooth_scroll,paspartu_enabled,wpb-js-composer js-comp-ver-4.11.2.1,vc_responsive

Círio de Nazaré, fé e iguarias

Círio de Nazaré

Círio de Nazaré, fé e iguarias

Em Belém, se encontra uma das maiores reservas de fé do planeta. Ali, no segundo domingo de outubro, dois milhões de fiéis homenageiam Nossa Senhora de Nazaré, padroeira do Pará. Depois da procissão – uma tocante manifestação brasileira – as famílias paraenses se congraçam ao redor da mesa farta. Não pode faltar o tradicional Pato-no-Tucupi, as perfumadas frutas amazônicas, como a pupunha, o piquiá, o umari, e a cutite-cutitiribá com sua polpa cor de gema. A parte mais esperada são as sobremesas: creme de cupuaçu, o doce de graviola, o manjar de bacuri e tapiocas molhadas com leite de coco fresco. Para preparar esse banquete celestial todos se abastecem antes no Mercado Ver-o-Peso, que só fecha suas portas em um único dia no ano – o dia da rainha de Nazaré.

Heitor e Silvia Reali

Viajamos para namorar a Terra. E já são 40 anos de arrastar as asas por sua natureza, pelos lugares que fizeram história, ou pela cultura de sua gente. Desses encontros nasceu a Viramundo e Mundovirado.