Sete lugares extremos do mundo para se isolar
52393
post-template-default,single,single-post,postid-52393,single-format-standard,eltd-core-1.0.3,ajax_updown,page_not_loaded,,borderland-ver-1.13, vertical_menu_with_scroll,smooth_scroll,paspartu_enabled,wpb-js-composer js-comp-ver-4.11.2.1,vc_responsive

Sete lugares extremos para se isolar

Kerkelen

Sete lugares extremos para se isolar

Por que o afastamento do mundo e a busca da solidão sempre nos trazem um valor positivo.

Bouvet

1) – Ilha Bouvet
De cara a melhor sugestão. Esta ilha localizada no Atlântico Sul é tida o lugar mais isolado e desabitado do mundo. A terra mais próxima está a 1600 km, e vejam só é a Antártida! Agora outro lugar a 1800 km e com burburinho, é a ilha Tristão da Cunha, com 40 habitantes. Para uma balada, o lugar mais próximo fica a 2500 km na Cidade do Cabo, África do Sul.
Como chegar: a ilha é território norueguês e antiga base científica. Inscreva-se na Marinha Real Norueguesa como voluntário para cuidar da estação. O tempo de permanência mínimo exigido é de um ano.

Port Locroy

2)- Port Locroy
Como falamos na Antártida, a sugestão agora fica com a estação britânica Port Locroy, hoje museu, localizado na península Antártida. É bem mais fácil de ser alcançada, pois quase todos os navios de turistas que vão para o continente gelado, fazem um stopover neste local. Quando visitamos a estação há três anos, dois casais de voluntários iam ali permanecer por seis meses.

Ahh! Ia esquecendo. O lugar permite ter seu pet. É só escolher entre as centenas de pinguins gentoos, que rodeiam a cabana o ano inteiro. E outra curiosidade das mais bonitas. Se tiver sorte, você poderá ser brindado com o green flash, espécie de aurora boreal, ou seja, uma explosão de luz verde que surge exatamente quando a última faísca do entardecer desaparece.

Qaqortoq

3)- Qaqortoq
Deixamos de lado um pouco os lugares ermos para sugerir um povoado pequeno, mas prazeroso e sossegado. Fácil de chegar, embora fique longe – Qaqortoq, na Groenlândia. Mas calma aí, é um lugar para ser visitado tento no verão quanto no inverno.
Qaqortoq no idioma inuit dos esquimós, e Julianehab, no dinamarquês, é uma Groenlândia especial. Por quê? No verão você pode pensar que está numa Riviera subártica, que ao invés de praias e palmeiras, a natureza te alegra com os icebergs e suas formas inusitadas. Além, das baleias brincando no litoral do fiorde onde se encontra o povoado com 3000 pessoas.

San Blas

4)- Arquipélago de San Blas
Nossa sugestão agora é um lugar onde o frio não aparece nunca, com praias e palmeiras, daquelas de grande beleza cênica, e de ócio absoluto. As ilhas de San Blas, no litoral atlântico do Panamá, canalizam a um raro e quase desconhecido destino.

São 360 ilhas, das quais somente 56 habitadas – algumas não maiores que uma quadra de tênis – e outras cujo cenário é digno de cartunista: um montinho de areia rodeando uma palmeira. As ilhas são envolvidas pelo mar cristalino que de tão claro, confunde a profundidade. E, basta uma escala em algumas dessas ilhazinhas deserta, frequentadas, sobretudo, por pelicanos e golfinhos para interagir com o mundo que o cerca. Todas despertam a impressão de reviver um pouco da aventura ‘robinsoniana’.

De nossas sugestões, essa é a mais fácil de chegar. Um voo da Cidade do panamá para o arquipélago é barato e demora apenas vinte minutos; Lá cada um escolhe em qual ilha aportar para lavar alma.

Motuo

5)- Motuo
Fiel ao seu significado literal, Motuo que significa flores em língua tibetana, abre a porta para a emoção. Isolado e intocado pelo desenvolvimento, o condado de Motuo é uma comunidade pequena na região autônoma do Tibete, e não pode ser acessa por veículos. Isso se deve a sua natureza ser rodeada por inúmeras montanhas íngremes, desfiladeiros, caminhos congelados, glaciais e inesperadas florestas úmidas.

Motuo é uma das áreas mais misteriosas do Tibete, abriga um décimo de toda a flora chinesa e é considerada a terra tibetana mais sagrada. Lugar certo pata você se descobrir.

Kerkelen

6)- ilhas Kerkelen
Também conhecidas com as ‘Ilhas Desoladas’ pela sua distância de qualquer tipo de civilização, as ilhas Kerkelen são um pequeno arquipélago localizado no sul do Oceano Índico. Não há pista de pouso nas ilhas, e para chegar a elas os viajantes devem fazer uma viagem de seis dias de barco, a partir de Reunião, outra pequena ilha localizada ao largo da costa de Madagascar.

As ilhas não têm população nativa, e sim equipes permanentes de cientistas da França. E como sempre, esses centros científicos aceitam voluntários não só para trabalhar na base, como para colonização da ilha.

Mas o maior mérito de Kerkelen recai sobre sua natureza, pois ela é conhecida como um dos esboços do Paraíso feito pela Mão do Criador, tal o conjunto de suas exuberantes paisagens.

Pitcairn

7)- Ilha de Pitcairn
Finalizamos nossas dicas com um lugar exuberante, como são quase todas as ilhas da Polinésia – Ilha de Pitcairn – no centro do Oceano Pacífico. Seus vizinhos mais próximos são as ilhas Gambier e Taiti, ao oeste, mas mesmo estas estão a centenas de quilômetros de distância.

Tão impressionante quanto as paisagens é a história da ilha que atrai mais. Ela foi cenário, em 1789, do motim do navio HMS Bounty, quando membros da tripulação encantados com a vida idílica dos ilhéus que ali viviam, se rebelaram, queimaram seu navio, e se estabeleceram na ilha, Sua população de cerca de 50 pessoas, muitas das quais descendentes do Bounty, vivem de pesca, da agricultura, e da venda de seus selos extremamente raros entre os colecionadores,

A ilha é considerada uma das mais isoladas do mundo. Para chegar lá, só de barco, e uma viagem a partir da Nova Zelândia chega a demorar dez dias.cajuzinho

8)- Este espaço é reservado para a sua dica. Nos informe qual é

Heitor e Silvia Reali

Viajamos para namorar a Terra. E já são 40 anos de arrastar as asas por sua natureza, pelos lugares que fizeram história, ou pela cultura de sua gente. Desses encontros nasceu a Viramundo e Mundovirado.